BNDES aprova R$ 1,3 bilhão para usinas eólicas no Piauí

0 comentários


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou três financiamentos, no valor total de R$ 1,3 bilhão, para os complexos eólicos Chapada do Piauí 1, 2 e 3, cujo potencial total de geração é de 436,7 MW. 

As obras devem criar mil empregos diretos e 2,3 mil indiretos no Estado. Na fase de operação serão, respectivamente, 170 diretos e 230 indiretos. Também vão gerar renda adicional aos proprietários rurais da região que arrendaram parte de suas fazendas para a instalação das unidades.

Os 247 aerogeradores a serem usados nos projetos atendem a política do BNDES de índice de nacionalização. Isso implica dizer que a maior parte de seus componentes são fabricados no País, gerando empregos no Brasil.

Além disso, as empresas contrataram com o Banco R$ 9,1 milhões para investimentos sociais no entorno dos projetos. Por orientação dos técnicos do BNDES, os projetos devem ser nos eixos de educação, abastecimento e saneamento.

Financiamentos – O maior financiamento aprovado pelo Banco foi de R$ 575 milhões para o projeto do Complexo Eólico Chapada do Piauí II. Seus seis parques eólicos devem gerar 172,4 MW. Suas obras devem criar 450 empregos diretos e 800 indiretos. A operação deve criar 30 vagas diretas e 60 indiretas.

Primeiro dos três projetos a ter financiamento aprovado e segundo em volume de recursos, o Complexo Eólico Chapada do Piauí I terá apoio de R$ 555 milhões do BNDES para instalar sete parques eólicos com 115 aerogeradores e potencial de 205,1 MW.

O complexo Chapada do Piauí III recebeu R$ 170 milhões. Os recursos serão usados na implantação de dois parques eólicos com capacidade de gerar 59,2 MW nos munícipios de Marcolândia e Caldeirão Grande do Piauí, na chapada do Araripe, região do Alto Médio Canindé. 

Potencial – Segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeolica) o país tem 298 usinas instaladas com capacidade de gerar 7,5 GW. Elas reduziriam as emissões de CO2 em 13,2 milhões de toneladas por ano. Em breve, devem ser acrescentados mais 10,6 GW.

Fonte: UdP
Imagem: ALUÍSIO MOREIRA/SEI

Licença Creative CommonsTodo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Sem Derivações 4.0 Internacional.

Brasil e EUA aprofundam cooperação em energia

0 comentários


Brasil e Estados Unidos deram mais um passo para fortalecer a cooperação para o desenvolvimento de tecnologias em energia, em especial nas áreas de energias renováveis, eficiência energética e redes inteligentes, ou Smart Grids. Nesta terça-feira (20/10), o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, foi recebido em reunião pelo secretário de Energia dos Estados Unidos, Ernest Moniz, na sede de Departamento de Energia americano, em Washington para discutir ações de parceria.

A próxima reunião para dar sequência nas ações de cooperação entre os países foi marcada para novembro, quando começam a ser  operacionalizadas as atividades selecionadas, que se inserem no Diálogo Estratégico em Energia Brasil - Estados Unidos (SED).

"Iniciamos desde sexta-feira diversas reuniões com potenciais investidores e com alavancadores de investimento para o setor elétrico,  aqui e em Nova Iorque, e hoje, junto com nosso embaixador Luiz Alberto Figueiredo, estivemos com o secretário de Energia dos Estados Unidos, tratando de cooperações entre o Brasil e os Estados Unidos, principalmente nas áreas de tecnologia e energias renováveis. Tivemos uma reunião bastante objetiva e, a nosso juízo, muito bem sucedida", afirmou Braga.

A colaboração entre os dois países na área energética se insere nos esforços iniciados após o compromisso firmado entre a presidente Dilma Rousseff e o presidente Barack Obama, em junho, de atingir 20% da matriz elétrica com uso de fontes renováveis, sem contar a hidroeletricidade, até 2030. A reunião entre Braga e Moniz dá continuidade a esses esforços.

De acordo com Moniz, os Estados Unidos têm focado sua pesquisa em inovação tecnológica, com destaque para a energia solar fotovoltaica. Segundo afirmou Moniz a Eduardo Braga, os Estados Unidos têm grande interesse em contribuir com o Brasil para expandir essa fonte elétrica na matriz brasileira.

Do lado americano, Moniz afirmou que os Estados Unidos têm especial interesse em conhecer mais tecnologias em biocombustíveis, área em que o Brasil acumula grande experiência. Na reunião, ele afirmou que os países podem fomentar a troca de experiências entre especialistas e centros de pesquisa e desenvolvimento.

"O Brasil tem muito a oferecer, é um pais enorme e importante para nós", afirmou Moniz, durante a reunião.

A reunião entre Braga e Moniz faz parte da agenda da viagem aos Estados Unidos, iniciada na sexta-feira, em Nova Iorque, para apresentar oportunidades no setor de energia no Brasil a investidores internacionais e visitar centro de pesquisa tecnológica em energia. Na sexta, Braga participou de almoço com representantes de empresas e potenciais investidores, na Câmara de Comércio Brasil - Estados Unidos.

Na ocasião, proferiu palestra a convidados da Câmara de Comércio, mostrando as perspectivas do setor elétrico e os futuros projetos em estudo. Em Washington, o ministro também reuniu-se com investidores na Brazil-US Business Council.Antes de retornar ao Brasil Braga e comitiva visitarão o National Institute os Standards and Technology (NIST), agência federal americana que tem a missão de promover a inovação e a competição industrial. 

Fonte: MME
Imagem: TN Petróleo

Licença Creative CommonsTodo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Sem Derivações 4.0 Internacional.

PJ Valves fecha contrato para fornecimento de válvulas para Libra

0 comentários



PJ Valves, uma empresa inglesa associada ao Conselho Britânico de Energia (THE EIC), fechou neste ano um contrato de milhões de dólares para a fabricação de válvulas para a FPSO que conduzirá testes de longa duração no campo de Libra, na Bacia de Santos. A entrega dos equipamentos atingiu seus últimos estágios e está de acordo com o prazo especificado de 22-32 semanas.

A localização da FPSO trouxe requisitos de engenharia desafiadores.A PJ Valves está fornecendo válvulas modulares de duplo bloqueio e drenagem (DBB) de 16 polegadas, fabricadas em aço duplex e aptas a suportar pressões de até 10,000 PSI conforme certificação API. Grandes atuadores foram necessários para encaixe em válvulas esfera de 10 polegadas e 2500 libras. O consórcio entre Odebrecht Oil & Gas e Teekay, responsáveis pela construção e afretamento da FPSO, aprovaram as válvulas da PJ Valves para o projeto.

Hugh Bisset, Diretor das Américas, explicou que "Nós temos desenvolvido com sucesso os nossos mercados internacionais ao longo dos últimos anos por termos experiencia de liderança em cada um dos centros do mundo, como Londres, Cingapura e Houston. O contrato para a FPSO de Libra é um exemplo de que esses escritórios trabalham perfeitamente em conjunto com as nossas equipes de fabricação. Nosso próximo objetivo é desenvolver a nossa presença direta no Brasil - líderes mundiais em FPSOs.

Fonte: The EIC
Imagem: Teekay

Licença Creative CommonsTodo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Sem Derivações 4.0 Internacional.

Jovens terão palestras sobre oportunidades de emprego na indústria de óleo e gás

0 comentários



O Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) promove a segunda edição do Profissional do Futuro, programa de relacionamento com estudantes e universidades, durante a OTC Brasil 2015, um dos mais importantes eventos do setor offshore de óleo e gás do mundo, que acontece do dia 27 a 29 de outubro, no Riocentro.

O Profissional do Futuro é um programa criado há 13 anos pelo IBP e apresenta de maneira dinâmica a indústria do petróleo e gás aos jovens estudantes.

Com o tema “Conversas petroleiras: um bate-papo sobre energia, carreiras, crises e oportunidades”, o programa foi reformulado este ano e terá formato inovador na OTC Brasil 2015: um bate-papo descontraído entre executivos, futuros líderes do setor, especialistas em recursos humanos e estudantes. Os palestrantes vão conversar com os jovens sobre oportunidades de emprego na indústria de óleo e gás em meio à crise.

Os estudantes terão a oportunidade de participar do programa em três sessões, duas no dia 28 e uma no dia 29. Para participar, basta se inscrever no site http://profissionaldofuturo.ibp.org.br. Confira os horários abaixo.

Profissional do Futuro – OTC Brasil 2015

Local: Riocentro, Pavilhão 5, Sala 103

28 de outubro

Sessão 1 - 10h às 12h

Panorama da Indústria — Jorge Camargo (Presidente do IBP)Caminhos de carreira — Ivan Almeida (Gerente de Operações da ExxonMobil)Como aumentar suas chances de ingressar na indústria em tempos de crise — Alessandra Simões (Uphill)

Sessão 2  - 15h às 17h

Panorama da Indústria — Murilo Marroquim (Diretor da Novapetróleo)Caminhos de carreira — Nina Fernandéz (Relações Institucionais - IBP)

Como aumentar suas chances de ingressar na indústria em tempos de crise — Renata Nahon (Coordenadora de Recursos Humanos da Subsea 7) 


OTC Brasil 2015

27 a 29 de outubro

Local: Riocentro (Av. Salvador Allende, 6555 - Barra da Tijuca – Rio de Janeiro)

Horários: Credenciamento, das 8h às 17h, Conferência, das 9h30 às 17h e Exposição, das 12h às 20h

Inscrições: www.otcbrasil.org

A conferência tem taxa de inscrição, com valores que dependem do tipo de participação. O acesso à exposição é gratuito.

Fonte: TN Petróleo

Licença Creative CommonsTodo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Sem Derivações 4.0 Internacional.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir