BP SE DEFENDE E ACUSA PARCEIROS POR VAZAMENTO - Retrospectiva

A última semana do setor petrolífero começou, logo na segunda-feira, dia 6, com boas e más notícias para a Petrobras. Pelo lado bom, os jornais destacaram que a companhia pode se tornar a 2ª maior das Américas, desbancando a Apple, em valor de mercado. Isso acontece devido ao salto que deve acontecer após a capitalização da estatal, o que elevaria o valor da empresa a, pelo menos, R$ 386 bilhões, com a venda de novas ações. A nota ruim ficou por conta de uma paralisação de petroleiros de todo o país, reivindicando melhorias de salários. Embora 80% dos trabalhadores tenham parado as atividades, segundo a Petrobras, a produção não foi afetada.

Após o feriado de 7 de setembro, as notícias continuaram trazendo a Petrobras nas manchetes. Na última quarta-feira, dia 08, o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro NF) pediu a interdição da plataforma P-35, na Bacia de Campos, sob alegação de que dois trabalhadores se acidentaram em menos de 15 dias no local e que ainda houve vazamento e gás. O pedido foi encaminhado ao Ministério Público do Trabalho (MPT).

No mesmo dia, mas do outro lado do mundo, a mídia divulgou um novo acidente com plataformas de petróleo, dessa vez na China. A instalação, localizada em área de sete metros, a cerca de nove metros do litoral de Shandong, inclinou 45 graus em virtude da passagem do tufão Malou, segundo a agência oficial de notícias Xinhua. Com isso, duas pessoas caíram na água e desapareceram, enquanto 34 foram socorridas. Todos os 34 resgatados passam bem e não houve risco de vazamento de óleo.

Na quinta-feira, dia 9, veio a público um relatório da British Petroleum (BP) contendo uma investigação da companhia acerca do vazamento de petróleo no Golfo do México. Segundo o documento, a BP minimizou sua responsabilidade e acusou empresas terceirizadas por falhas na operação do poço. As informações não agradaram à Halliburton nem à Transocean, que receberam as maiores críticas da petrolífera britânica. Em resposta, a Transocean disse que a BP tenta esconder sua responsabilidade e a Halliburton, que o relatório contém "omissões e imprecisões substanciais".

Investimentos

Fechando a semana, na última sexta-feira, dia 10, os jornais do setor veicularam números do investimento previsto da Odebrecht Óleo & Gás para o período de 2011 a 2013. A companhia pretende alocar US$ 3,5 bilhões para expandir sua atuação no Brasil, utilizando como principal foco o afretamento de plataformas de perfuração, além de futuras participações em licitações da Petrobras para unidades de produção. Segundo Miguel Gradin, a empresa ainda espera o crescimento dos serviços prestados para as operações de diversas petroleiras na bacia de Campos.

Por Matheus Franco
matheus.f@nicomexnoticias.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir