BRASKEM ASSINA ACORDO DE COOPERAÇÃO TECNOLÓGICA

A Braskem, maior petroquímica das Américas, não para de investir forte em crescimento também no setor de tecnologia. No dia 1° desse mês, a companhia assinou um acordo de financiamento com a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), no valor de R$ 100 milhões, que serão destinados à área de pesquisa, desenvolvimento e inovação da companhia na área de polímeros. De sua parte, a Braskem fará aporte de R$ 11 milhões na parceria, que tem prazo de três anos.

O financiamento obtido junto ao órgão do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) é o maior já conseguido pela Braskem para a área de pesquisa e desenvolvimento. Além dele, a companhia tem acordos de cooperação com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e com a Novozymes, com a finalidade de desenvolver a competitividade da produção de polímeros oriundos de matérias-primas renováveis.

No mesmo dia, a Braskem firmou ainda uma parceria com o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), localizado em Campinas, interior de São Paulo. Através dela, a empresa terá acesso aos equipamentos de ponta do laboratório, assim como poderá utilizar as suas instalações. Segundo o diretor de Competitividade e Inovação da Divisão Polímeros da Braskem, Antonio Queiroz, o objetivo é realizar pesquisas na área de biotecnologia.

Inicialmente, a Braskem utilizará uma área de 50 metros quadrados, que será expandida para 200 metros quadrados em 2011. O projeto envolverá, em curto prazo cerca de 40 pesquisadores da empresa. Para Queiroz, o LNBio, que é ligado ao MCT, poderá oferecer uma infraestrutura capaz de promover uma integração com benefícios claros e importantes para ambas as partes, já que será criado um ambiente propício para o desenvolvimento científico inovador.

Pretensão para a região

Diante da proposta da Braskem, que iniciou a produção de plástico verde esse mês, de se tornar referência em química sustentável no mundo, esse tipo de parceria, para a empresa, é uma forma de transformar a região de Campinas em uma espécie de Vale do Silício da química renovável – em referência à área dos Estados Unidos conhecida como berço da tecnologia. Assim, o modelo de parceria entre a Braskem e o LNBio surge como um modelo inovador, no qual o setor de pesquisa e a empresa podem gerar troca de experiências e formação de pessoas.

Nicomex Notícias – Redação
nicomex@nicomex.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir