MERCADO DE GÁS CONTINUA RECEBENDO INVESTIMENTOS

Até dezembro deste ano, a Petrobras começa a operar um investimento de R$ 11,7 bilhões para aumentar a oferta de gás natural do país em um terço do volume atual. No entanto, esse esforço não irá chegar à outra ponta da cadeia, o consumidor, uma vez que a estatal não terá a quem vender essa produção, devido ao fato do mercado brasileiro estar atendido em 2010. Mesmo diante dessa realidade, a companhia segue planejando o futuro do setor e espera um crescimeto médio anual de 7,4% até 2014.

Os investimentos da Petrobras englobam um complexo que inclui a maior plataforma de gás do país, com a finalidade de explorar os campos de Mexilhão e Uruguá-Tambaú, gasodutos e uma unidade de tratamento em Caraguatatuba, cujo início da operação estava previsto para 2009. Há ainda outras unidades no Rio de Janeiro e no Ceará, que somam mais R$ 2,5 bilhões. Esses investimentos foram definidos em 2007, quando o país atravessava a crise do gás. Agora, com abundância na produção, a companhia acumula gás ocioso.

Além da produção nacional consolidada, dois fatores colaboram para que o estoque de gás continue aumentando. O primeiro, ainda prematuro, mas importante, é a recente descoberta de gás no Maranhão, anunciada pelo empresário Eike Batista, no campo de Parnaíba. O local teria até 15 trilhões de pés cúbicos de potencial, com produção estimada em 15 milhões de metros cúbicos por dia. O segundo ponto é que, por contrato, o Brasil é obrigado a comprar gás da Bolívia. Com isso, até o meio deste ano, o país queimava o equivalente a 12% de todo o consumo comercial nacional.

Mexilhão em outubro

A segunda quinzena de outubro deve marcar o início da operação do campo de Mexilhão, na Bacia de Santos, afirmou o gerente de exploração de gás natural da Bacia de Santos da Petrobras, Márcio Naumann, em evento sobre cogeração, em São Paulo. O trabalho será feito por uma plataforma que também irá escoar o gás dos campos de Uruguá e Tambaú, além do projeto piloto de Tupi. Com essa operação conjunta, a capacidade de produção da Bacia de Santos chegará a 22 milhões de metros cúbicos diários, contra os 2,5 milhões atuais.

A partir daí, o maior obstáculo passa a ser o escoamento dessa produção, que promete ser solucionado pelo gasoduto Caraguatatuba (SP) - Taubaté (SP), o Gastau. Até 2013, a Petrobras deve colocar em operação outros três sistemas de produção: o FPSO Cidade de Itajaí, nos campos de Tiro e Sídon; o FPSO Cidade de São Paulo, no campo de Guará; e o FPSO Cidade de Paraty, que será o projeto piloto de Tupi Nordeste. Por enquanto, campos como Uruguá e Tambaú seguem queimando o gás produzido.

Nicomex Notícias – Redação
nicomex@nicomex.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir