Sindicato pede a interdição da plataforma P-35

Rio de Janeiro - O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro NF) entrou com pedido de interdição da plataforma P-35 da Petrobras, na Bacia de Campos, ao Ministério Público do Trabalho (MPT), na última sexta-feira.

A situação de conservação e de segurança da plataforma está sendo investigada pelos procuradores de Cabo Frio, que já instauraram inquérito para apurar as denúncias de falta de segurança feitas pelo sindicato nas plataformas P-35, P-31 – apelidada pelos trabalhadores de sucatão – e na P-33. Esta última está interditada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) desde o dia 12 de agosto.

Diante da denúncia de que dois trabalhadores se acidentaram em menos de 15 dias na plataforma e de que ainda houve um vazamento de gás, o MPT pediu que a Petrobras preste esclarecimentos sobre os acidentes aos procuradores até amanhã.

Pelo relato do sindicato, um gerente caiu de uma escada e quebrou o braço em dois lugares, justamente quando fazia uma auditoria interna sobre as condições de segurança. Mas a Petrobras afirmou, em nota, “que a escada possui boas condições de conservação, corrimão e bordas antiderrapantes em todos os degraus”. E que o funcionário se desequilibrou no penúltimo degrau e teve que imobilizar o ombro.

O sindicato denunciou que outro trabalhador, esse terceirizado, teve fratura exposta na perna, quando uma porta de aproximadamente 250 quilos caiu sobre ele. A Petrobras disse que a porta estava em perfeito estado de conservação e que houve uma “pequena falha de montagem” que provocou o “desprendimento de uma porta corrediça localizada na entrada do almoxarifado”.

Em julho último, houve uma explosão sem feridos na P-33, que levou à interdição de alguns equipamentos da plataforma pelos auditores fiscais do Trabalho. Alguns dias depois, a plataforma foi interditada pela ANP.

Capitalização da estatal custará R$ 505 milhões

A maior operação de emissão de ações da história vai custar à Petrobras R$ 505 milhões. Esse é o cálculo feito pela estatal para os gastos com a contratação de bancos coordenadores, auditores e advogados, além das taxas e impostos que incidirão sobre o processo. A Petrobrás espera captar pelo menos R$ 128 bilhões. Enquanto 68% das receitas deverão ser usadas para a compra de reservas do pré-sal, 32% serão destinadas para investimentos. Ao todo, 18 bancos foram contratados para coordenar a operação.

Fonte: A Gazeta (ES) Vitória

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir