Crédito para cadeia de gás e petróleo

Tratadas como verdadeiro oásis para o crescimento da economia brasileira, as recentes descobertas pretrolíferas na camada do pré-sal, entre os estados de Santa Catarina e Espírito Santo, devem fortalecer um dos setores de maior sustentação financeira, o das micro e pequenas empresas (MPEs). Quem é micro ou pequeno empresário, atua no setor de petróleo, gás e energia (PGE) e quer aquecer o negócio, já tem motivos para se animar e buscar maior participação no concorrido mercado de derivados do petróleo.

O motivo é que a Caixa Econômica Federal (CEF) lançou uma nova linha de crédito para as MPEs (aquelas que faturam até R$ 2,4 milhões, segundo a Lei Geral) que desejam se tornar fornecedoras de bens e serviços para a Petrobras e suas subsidiárias. O produto financeiro, chamado "Crédito Especial Empresa - Fornecedores de Grandes Corporações da Cadeia PGE", vai facilitar o acesso ao crédito e tem por finalidade apoiar o capital de giro dessas empresas, mediante antecipação de recebíveis perfomados, ou seja, créditos a receber pela instituição bancária, e atender a demanda de contratos futuros.

A linha é fruto de uma parceria entre a CEF, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Rede Petro, e foi criado a partir de análises que apontam investimentos no setor de PGE em torno de US$ 224 bilhões (cerca de R$ 400 bilhões) até 2013. Traduzindo, até este período, a tendência é de crescimento no número de MPEs fornecedoras de bens e serviços para a cadeia de derivados do petróleo. As metas de incremento, inclusive, são ousadas.

Para se ter noção, de acordo com o gerente regional de negócios da CEF no Recife, Kleber Paz, o objetivo é fomentar o crédito em proporções semelhantes ao que ocorre no setor imobilário. "O setor de PGE cresce à medida em que ocorrem os investimentos elevados na exploração petrolífera. A Caixa pretende aumentar, gradualmente, o acesso ao crédito para as MPEs do segmento em até 75%, como ocorre atualmente no setor imobiliário", disse.

Agência - No caso de Pernambuco, com o aquecimento do Porto de Suape as MPEs precisam se adequar ao mercado (subentenda-se capacitação e planejamento). Saem na frente as empresas que atendem ao setor de metal-mecânica, um dos que mais oferece suporte ao mercado de PGE. E a base de apoio está bem próxima de mostrar sua cara: a Agência Suape da Caixa, que aguarda a oficialização do Banco Central para entrar em operação no complexo portuário.

Quem deseja se beneficiar com a nova linha de crédito não precisa esperar a abertura da agência. Ao contrário, a Caixa já disponibilia todas as informações necessárias para os interessados na superientendência regional do Recife. O ideal é buscar soluções para o incremento do seu negócio o quanto antes. "Os números mostram cada vez mais investimentos no setor do PGE em Pernambuco. É uma oportunidade sem igual para as MPEs se tornarem fornecedoras da Petrobras e suas subsidiárias. Basta procurar a Caixa para saber das condições necessárias para obtenção do crédito", completa Paz.

Fonte: Folha de Pernambuco/Augusto Freitas

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir