ITABORAÍ PREPARA PLANO HABITACIONAL PARA ENTORNO DO COMPERJ

A previsão da entrada em operação do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) é para o segundo semestre de 2013, mas inúmeras situações já preocupam as autoridades envolvidas no projeto. Uma delas é o crescimento desordenado no entorno do local, que promete causar transtornos à população de Itaboraí. Diante desse cenário, a Secretaria de Habitação, Trabalho e Renda do município está elaborando um Plano Local de Habitação de Interesse Social.

A medida atende à uma solicitação do Ministério das Cidades, que vislumbra um aumento populacional considerável na região, em virtude da instalação do Comperj. “A partir do Plano, Itaboraí poderá ampliar a sua participação nos programas habitacionais do Governo Federal. O objetivo é mapear o município para garantir moradia à população de menor renda, além de melhorias na infraestrutura e serviços urbanos”, explica o secretário de Habitação, Trabalho e Renda, Saíde Abrão, ao Nicomex Notícias.

A intenção do Ministério, juntamente com a Prefeitura de Itaboraí é evitar a favelização na região, provendo moradia e infraestrutura, tanto para as pessoas que já vivem no local, quanto para aqueles que irão aumentar a população do município, já que muitas empresas irão aportar nas redondezas, aproveitando as oportunidades do Comperj. Em contrapartida, haverá geração de empregos e aumento de renda para a cidade, na opinião do secretário Saíde.

O primeiro passo para a elaboração do Plano foi reunir a população para debater as necessidades do município. Segundo o secretário, mais de 300 pessoas compareceram às primeiras reuniões que ocorreram no mês de setembro, nos distritos de Itambi (Escola Municipal Luzia Gomes de Oliveira) e Porto das Caixas (Escola Municipal Símaco Ramos de Almeida). “Entre as principais exigências da população, estão mais infraestrutura e atenção nas áreas de Saúde e Educação”, disse.

Mudanças

Na última terça-feira, dia 05, o secretário de Desenvolvimento do Rio de Janeiro, Júlio Bueno, afirmou que o projeto inicial do Comperj foi alterado e pode ser considerado, agora, essencialmente destinado ao refino, e não a um complexo petroquímico propriamente dito. Segundo ele, haverá uma grande refinaria Premium, com capacidade para processar 200 mil barris, e uma pequena unidade petroquímica, de 20 mil barris. O secretário acredita que uma das causas da mudança é qa grande oferta de produtos petroquímicos no mundo.

Por Matheus Franco
matheus.f@nicomexnoticias.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir