PDVSA ajudou a trazer a refinaria para Suape

Ainda que fique de fora da implantação da Refinaria Abreu e Lima, no Complexo de Suape, a Petróleos de Venezuela (PDVSA) teve papel importante na escolha de Pernambuco como sede do empreendimento. Quando esteve no Estado, em setembro de 2007, para iniciar as obras de terraplenagem, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou que vários Estados disputavam a unidade de refino, mas que ficaria com ela quem trouxesse um sócio. O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, se interessou pela empreitada e o negócio ficou aqui.

É verdade que a parceria com a PDVSA não foi a única vantagem apresentada por Pernambuco. No estudo de viabilidade técnico-econômica realizado pela Petrobras, o Estado contava com a infraestrutura do Porto de Suape, a presença de um complexo industrial no entorno e o segundo mercado consumidor de combustíveis do Nordeste.

No evento que simbolizou o início da terraplenagem, o presidente Lula rememorou a guerra entre os Estados na disputa pelo empreendimento, comparando a refinaria a um bife disputado por uma família de 27 “filhos” (os governadores brasileiros). “Como não poderia dividir a refinaria com todos, disse que levaria o ‘bife’ quem conseguisse um parceiro para tocar o negócio”, brincou. Pernambuco venceu a batalha, trazendo a Venezuela para o projeto.

O presidente Lula lembrou que desde 2003, acirrou-se a disputa entre os Estados brasileiros para abrigar a refinaria. “Todo governador que conversava comigo falava que tinha um parceiro para construir a refinaria. O Ceará tinha o príncipe da Arábia Saudita, com quem eu tive o prazer de jantar, junto com o senador Tasso Jereissati. O Rio de Janeiro, o Estado do Maranhão e o Espírito Santo tinham como parceiro uma empresa chamada Marubeni, acho que era uma companhia japonesa”, contou Lula, em 2007.

A única exigência feita por Hugo Chávez – padrinho político do empreendimento – foi batizar a refinaria com o nome do general pernambucano, Abreu e Lima, que lutou pela libertação da América Latina e em especial pela Venezuela junto com Simón Bolívar. Questionada se mudaria o nome da refinaria caso a PDVSA saísse do negócio, durante outros rumores de que a estatal deixaria o projeto, a diretoria da Petrobras afirmou que não havia sentido em alterá-lo. Apesar disso, a Petrobras apelidou a refinaria de Rnest (Refinaria do Nordeste), seguindo a tendência de usar siglas para denominar suas unidades de refino.

No imbróglio com a PDVSA, a Petrobras sempre deixou claro que tocaria a refinaria com ou sem a parceria da Venezuela. O último cronograma divulgado prevê inauguração no primeiro trimestre de 2013.

Fonte: Jornal do Commercio (PE)

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir