RIO GRANDE DO NORTE VIRA MODELO EM ENERGIA RENOVÁVEL


Não é só pelas belas praias e dunas que o vento está soprando a favor do Rio Grande do Norte. A partir de agora, o Estado pode ser considerado referência nacional em fontes de energia alternativa. Até 2013 a região receberá 69 parques eólicos, com obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que demandarão investimento de R$ 8 bilhões e a tornará exportadora de energias para outros estados brasileiros. O governo local está se esforçando para tirar o melhor proveito dos investimentos em energia eólica, que representam quase um quarto do PIB potiguar de 2008, de R$ 25,5 bilhões.

O Rio Grande do Norte já se destaca no setor eólico há alguns anos, desde a construção de uma instalação no Município do Rio do Fogo (a 60 km de Natal). O Parque Eólico Rio do Fogo está em operação comercial desde Julho de 2006 e têm 49.3 MW de potência instalada. Atualmente, apenas 1% da energia gerada no mundo provém deste tipo de fonte porque a energia gerada por uma central eólica custa entre 60% e 70% a mais que a mesma quantidade gerada por uma usina hidrelétrica. Em entrevista à Nicomex Notícias, o consultor de Novos Negócios da empresa Verde Consultoria, Gilbert Simionato, diz que o Brasil já poderia estar no topo do pódio em virtude do vasto potencial de energias renováveis.

“O país vem desperdiçando oportunidades de explorar fontes de energia limpa, o grande motor para o desenvolvimento em tempos de mudanças climáticas”, completa Gilbert. Outra questão que o consultor apresenta passa pelas emissões vindas do setor energético, onde a meta do governo é permitir que esse tipo de geração, que hoje representa 16,5% do total emitido, dobre em dez anos. O governo usa a desculpa de que, como as emissões desse tipo são baixas, não há problemas em aumentá-las. De acordo com Gilbert, se o governo fizesse a mesma campanha que tem feito sobre o pré-sal, o cenário mudaria em muito pouco tempo.

Natal receberá mais investimentos
As obras do PAC incluem a ampliação do porto de Natal (a segunda desde 2008, com investimento total de mais de R$ 200 milhões) e a construção do Terminal Pesqueiro Público de Natal (cerca de R$ 36 milhões). Essas obras possibilitarão ao Rio Grande do Norte receber embarcações de grande porte, inclusive internacionais, para recolher seus valiosos atuns, dos quais é o maior produtor e exportador do país. Também ficará perto de Natal, em Macaíba, cidade com um parque industrial expressivo, uma das duas Zonas de Processamento de Exportação (ZPE) que o Estado planeja construir.

Em nota enviada pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio Grande do Norte, o governo afirma que também está trabalhando para que os investimentos se espalhem pelo interior do Estado, que tem menos de 53 mil km² de área e cerca de 3,2 milhões de habitantes. Mas os projetos do PAC não vão nessa direção, apesar dos benefícios que acarretarão. Concentram-se na capital e cidades próximas, e na região de Mossoró, onde está a Petrobras.

Por Rodrigo Leitão
rodrigo.leitao@nicomexnoticias.com.br

Fonte: Nicomex Notícias

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir