Petrobrás quer ser a maior produtora de etanol no Brasil até 2015

O presidente da Petrobrás, José Sergio Gabrielli, afirmou nesta sexta-feira, 29, que a empresa planeja se tornar a maior produtora de etanol no Brasil até 2015, alcançando 12% do mercado nacional. Atualmente, a companhia ocupa o terceiro lugar, com 5,3% da produção no País. A Cosan-Shell lidera, com 7%. O Plano de Negócios 2011-2015, anunciado na última sexta-feira, prevê investimentos de US$ 4,1 bilhões em biocombustíveis até 2020, dos quais US$ 1,9 bilhão voltados para a produção de etanol. "Claro que o álcool é rentável, os usineiros estão dominando o Brasil a 450 anos", completou Gabrielli.

Diesel

O Brasil deverá se tornar autossuficiente em diesel até 2015, chegando à mesma situação em relação à gasolina em 2018 ou 2019, afirmou o presidente da Petrobrás. Até lá, completou, a companhia continuará importando o combustível para dar conta da crescente demanda do País. "A Petrobrás pode importar e vai importar, porque tem compromisso de não deixar faltar gasolina. Este ano já importamos o equivalente a 3 dias de abastecimento e no segundo semestre vamos importar mais", reafirmou o executivo.

Segundo ele, as refinarias da empresa - que detém 100% do refino no País - estão operando no limite, a 92% da capacidade instalada. "A demanda por gasolina cresceu 19% em 2010, este ano já aumentou 7%. Cresce mais do que o PIB", acrescentou. Para Gabrielli, o estrangulamento da produção é uma das "boas dores do crescimento econômico". De acordo com ele, os estoques de combustível no País estão em níveis adequados, mas, de qualquer forma, o consumidor não é afetado pela importação.

Fertilizantes

Gabrielli afirmou que a companhia também tem planos de expandir a produção de fertilizantes nitrogenados no País. O executivo, porém, evitou comentar as negociações da empresa com a Vale a respeito da produção de potássio em Sergipe. "Não podemos falar de negociações potenciais, mas estamos fazendo três plantas de produção de ureia e amônia, que vão levar o Brasil a ser autossuficiente em amônia em 2015 e reduzir pela metade a importação de ureia no mesmo ano", afirmou Gabrielli, citando empreendimentos nos Estados do Mato Grosso, Minas Gerais e Espírito Santo.

Segundo ele, elevar a produção de fertilizantes é estratégico para o mercado de gás natural no Brasil. "Atualmente, mais da metade do mercado nacional de gás depende da expectativa de chuva, então você não tem certeza nunca qual é a quantidade de gás que vai ser usada em termoelétricas. O objetivo é melhorar a rentabilidade para a Petrobrás", completou. Produzir fertilizantes seria uma forma de otimizar o consumo do gás produzido pela própria Petrobrás.

Capitalização

Apesar de os investimentos previstos pela Petrobrás até 2015, de US$ 224,7 bilhões, demandarem captação de US$ 67 bilhões a US$ 91 bilhões, o presidente da companhia, José Sergio Gabrielli, descartou uma nova capitalização da companhia, a exemplo da ocorrida em 2010. "Estamos tranquilos do ponto de vista financeiro. Não é possível garantir os recursos que a Petrobrás precisa apenas no mercado interno, mas o mercado externo estará aberto", disse Gabrielli. Ele lembrou que a companhia conseguiu captar US$ 6,5 bilhões em janeiro de 2009, no auge da crise financeira internacional. Segundo Gabrielli, a empresa só não terá acesso a financiamentos no mercado "se o mundo acabar". "Somos uma empresa que está crescendo, com enorme potencial físico no pré-sal, com mercado interno em expansão onde dominamos", acrescentou.


Link da Notícia Original:
http://economia.estadao.com.br/noticias/not_77938.htm

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir