IPEM inicia fiscalização em revendedoras de Gás de Cozinha

A ASMIRG-BR vem alertando nossas autoridades para verdadeiras aberrações que só existem no setor do gás de cozinha, situações de riscos que comprometem a segurança do povo brasileiro e que são fortemente neutralizados por um cartel que brinca com a vida dos brasileiros.

Há dois pontos a serem observados quanto à atuação do IPEM:


a) Do peso X prejuízo para população


O botijão de gás de cozinha vem com lacre inviolável, nossas revendas de GLP não enchem seus botijões, a tolerância do peso exigido é algo lamentável, fere qualquer conceito da razoabilidade, beneficia apenas as cinco Companhias Distribuidoras que detém o mercado do gás com uma margem de tolerância que chega a ser de 250 gramas, essa gentileza, amarga um prejuízo no bolso de nossos consumidores que pode chegar à casa dos R$ 300 milhões de Reais por ano, uma matemática básica considerando o preço do gás a R$ 40,00 e uma venda média mensal de 33 milhões de botijões.


Não podemos deixar de citar os resíduos que retornam e são revendidos para a população, outro rombo milionário que favorece esse pequeno grupo formado por cinco Companhias Distribuidoras.


b) Validade x segurança


A omissão nas fiscalizações quanto a validade dos botijões resultam nas tragédias que acompanhamos dia a dia pela imprensa, lamentavelmente é comum a manchete, ...gravemente ferido... ou ...morreram..., aqui quem esta pagando com a vida é consumidor em especial classe D e E, mas mesmo com tantas manchetes esta questão é fortemente abafada por este pequeno grupo que evidencia sua atuação com a bandeira do maior cartel da história do Brasil,


O setor revenda é regido por duras normas de segurança regulamentado pela ANP que garante a todos que atuam no setor a tranqüilidade de atuar com segurança, acidente em nossa rede de revendedores é algo inexistente, mas toda esta conduta e cuidados se perdem quando recebemos botijões com validades vencidas e em precários estados de conservação.


A falta de atuação do IPEM é retratada pelas tragédias vistas com botijões de gás de cozinha, os acidentes ocorrem nos lares da população brasileira e enquanto o IPEM não fazer cumprir sua regulamentação, fiscalizando o peso, a data de validade e o estado dos botijões o setor, a população continuará na posição de refém deste grupo.


Vale destacar que uma fiscalização não marca dia e nem hora que irá atuar, certamente o IPEM precisa rever suas condutas, precisa saber quem fiscalizar, é preciso rever se não existe vícios nas empresas que estão diretamente ligadas a estas Companhias e que fazem a requalificação dos botijões, estamos nos referindo a um produto de utilidade pública, base da alimentação do povo brasileiro que é instalado dentro de nossas cozinhas, botijão de gás é seguro, mas quando não fiscalizado, quando não respeitado as normas de segurança, ai sim, colocamos verdadeiras bombas dentro de nossos lares.


Certamente não deve ser papel do IPEM a instrução para nossa população, mas oportunamente questionamos suas cartilhas, instruem a população nos cuidados com mangueiras e registros, mas em nenhum momento vimos ou encontramos uma orientação sobre a validade dos botijões de gás de cozinha, sobre a orientação da margem de peso aceitável na compra do gás de cozinha, ações e condutas que merecem ser melhor observadas.


Colocamo-nos a disposição para maiores esclarecimentos.


Cordialmente,

Alexandre Borjaili
Presidente
Associação Brasileira dos Revendedores de GLP, ASMIRG-BR

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir