Comperj vai abrigar parque do tamanho de três Copacabanas


Uma área de 2.500 hectares — o equivalente a três vezes o bairro de Copacabana — no entorno do Complexo Petroquímico do Rio (Comperj) vai abrigar um parque e será reflorestado, com 1,5 milhão de mudas. A exigência foi incluída nas condições da licença de instalação da refinaria concedida pela Secretaria estadual do Ambiente (SEA), na última sexta-feira. A Petrobras será responsável por implementar e fazer a manutenção da unidade de conservação, em Guapimirim. A decisão põe fim a um impasse que já durava dois anos. Caberá à estatal ainda recompor as áreas de preservação permanentes do terreno.Recentemente, a estatal enviou à Secretaria do Ambiente um estudo sugerindo a criação de uma área de proteção ambiental (APA), unidade menos restritiva e que permite edificações. Mas a decisão pelo parque acompanhou um pedido de técnicos do Instituto Chico Mendes (ICMBio), órgão responsável pela gestão da APA de Guapimirim, unidade vizinha à área da refinaria que abriga os manguezais remanescentes da Baía de Guanabara. Na avaliação do ICMBio, apenas um parque, ao proibir construções, garantiria o equilíbrio hídrico necessário à sobrevivência do "pulmão" da Baía de Guanabara: o bosque de manguezal com sete mil hectares, local que serve de "berçário" para peixes.

O terreno em questão já havia sido declarado de utilidade pública, para fins de desapropriação, pelo governador Sérgio Cabral em 2008. A medida, afirma o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, freou a especulação imobiliária na região, possibilitando a preservação ambiental.

— Os preços dos imóveis dispararam em Itaboraí e Guapimirim, nas áreas do entorno do Comperj. Então temos que impedir o crescimento desordenado na região. O parque, nesta nova condicionante que estamos fazendo à Petrobras, terá algum uso turístico. E a estatal terá que plantar 1,5 milhão de mudas dentro da unidade. O parque vai exercer a função de proteção do bosque de manguezal, ao evitar a salinização do solo — disse Minc.

Com a inclusão do parque, Petrobras e o órgão ambiental superaram os últimos entraves para o processo de licenciamento da refinaria, que tem previsão para começar a operar em 2014. Já está acertado que a estatal vai investir R$ 240 milhões na construção de uma barragem no Rio Guapiaçu, em Cachoeiras de Macacu, para garantir o reforço hídrico necessário ao empreendimento, além de R$ 160 milhões no saneamento de Itaboraí e Maricá, por onde vai passar o emissário da refinaria.


Fonte: O GLOBO

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir