ANP quer mais equipamentos certificados


A ANP tem como meta para este ano aumentar o número de certificados de conteúdo local associados a equipamentos, reduzindo a disparidade em relação à certificação de serviços. Para isso, a agência está incentivando fabricantes a certificarem seus produtos, conta o chefe da Coordenação de Conteúdo Local da ANP, Marcelo Mafra. “Se ficar na razão 50/50 será muito bom”, afirma.

Ao final desta semana, a ANP fechará o balanço de certificados do primeiro trimestre de 2012. Segundo Mafra, a média trimestral tem ficado em torno de 1.000 a 1.200 certificados. Até o quarto trimestre de 2011, o acumulado, desde a sétima rodada – quando começou a valer a exigência – estava em cerca de 7.250 certificados, a maioria dos quais relacionados a serviços como geologia e geofísica, já que a maior parte dos projetos estava em sua fase de exploração.


A ANP tem como meta para este ano aumentar o número de certificados de conteúdo local associados a equipamentos, reduzindo a disparidade em relação à certificação de serviços. Para isso, a agência está incentivando fabricantes a certificarem seus produtos, conta o chefe da Coordenação de Conteúdo Local da ANP, Marcelo Mafra. “Se ficar na razão 50/50 será muito bom”, afirma.

Ao final desta semana, a ANP fechará o balanço de certificados do primeiro trimestre de 2012. Segundo Mafra, a média trimestral tem ficado em torno de 1.000 a 1.200 certificados. Até o quarto trimestre de 2011, o acumulado, desde a sétima rodada – quando começou a valer a exigência – estava em cerca de 7.250 certificados, a maioria dos quais relacionados a serviços como geologia e geofísica, já que a maior parte dos projetos estava em sua fase de exploração.

A partir da virada deste ano para 2013, a tendência, conta Mafra, é que isso comece a mudar, já que muitos empreendimentos começam a entrar nas fases de produção e desenvolvimento de produção. Assim, começam a ser certificados equipamentos como árvores de natal molhadas, manifolds e outros, que estão associados ao estágio de construção de plataformas.

OTC
Presente à OTC, Marcelo Mafra vem se reunindo com diversos potenciais fornecedores, incluindo empresas do Canadá, Noruega e Angola. De acordo com o ele, o Brasil precisará de prestadores de serviços internacionais que possam trazer novas tecnologias para o pré-sal, como na área de engenharia básica. Ele cita como exemplo empresas que já tenham experiência em regiões como o Golfo do México, Mar do Norte e Ásia, no que se refere à implementação de tipos de plataformas que não FPSOs – unidades que vem sendo adotadas como modelo de produção pela Petrobras

Fonte: Energia Hoje

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir