Governo cria política para pequenos e médios produtores de petróleo

O Ministério de Minas Energia regulamentou a política para "aumentar a participação de empresas de pequeno e médio porte nas atividades de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás natural". Isso está na Lei 12.351/10, aguardava sanção desde que havia sido aprovada, em 2010, pelo Conselho Nacional de Política Energética.

Isso pode significar o desenvolvimento desse segmento, já que as pequenas e médias empresas (também denominadas "independentes"), não têm condições de competir nos leilões das rodadas autorizadas pelo ministério. Segundo especialistas que formataram o modelo de atuação das empresas independentes, sua importância se deve ao papel complementar às grandes companhias.

"Nos Estados Unidos, os pequenos produtores representam 40% da produção total de petróleo e gás. É estratégico para o Brasil estimular esse segmento, inclusive porque ele tem foco nos campos terrestres de baixo potencial, e acabam tendo o papel de recuperar o óleo que está no subsolo - um investimento que não tem rentabilidade atraente para grandes companhias", explica Newton Monteiro, e ex-diretor da ANP. Monteiro foi um dos responsáveis, quando era diretor da Petrobras, pela criação do modelo independente brasileiro.

Hoje existem pouco mais de 20 pequenos e médios produtores de óleo e gás em atividade no país (ver a seguir o raio-x do setor). Para Alessandro Novaes, presidente da Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás Natural (Abpip), as rodadas anuais específicas para o segmento incentivarão a formação de mais empresas - como ocorreu no passado, nas primeiras "rodadinhas" - e sobretudo benefícios sociais.

"O governo demonstrou não apenas visão de mercado, mas sensibilidade social. Os produtores independentes atuam nos campos terrestres, muitos deles situados em áreas de baixíssimo IDH, como o semiárido nordestino. Onde um pequeno produtor se instala, ele leva consigo postos de trabalho, o pagamento de royalties para prefeituras e proprietários das terras, benfeitorias como energia elétrica e construção e melhoria de acesso a áreas remotas e outros benefícios para a população destas áreas. ", lista Novaes. Ele acrescenta que, nos últimos anos, os produtores independentes repassaram em média R$ 56 milhões às prefeituras.

A produção atual das empresas de pequeno porte, que hoje atuam em 39 campos terrestres, tem uma extração total de cerca de 3.600 barris por dia, segundo a ANP. As pequenas e médias empresas atualmente geram 2.600 empregos diretos.

Fonte: Folha de São Paulo

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir