Petróleo americano extraído do xisto revoluciona o mercado

O "boom" do petróleo extraído do xisto nos Estados Unidos está criando um "choque de oferta" que revoluciona o mercado energético e "se expande a todo o mundo", destacou nesta terça-feira a Agência Internacional de Energia (AIE).

"A América do Norte tem gerado um choque de oferta, cuja onda se expande a todo o mundo", afirmou a diretora-executiva da AIE, Maria van der Hoeven, ao apresentar o relatório semestral que analisa a evolução do mercado petroleiro.

De acordo com Van der Hoeven, o auge do segmento energético permitirá que a oferta mundial de petróleo seja superior à demanda e isto deve "ajudar a acalmar um mercado petroleiro que estava relativamente tenso há vários anos".

A AIE, que depende da OCDE e defende os interesses dos grandes países consumidores de energia, prevê um aumento da capacidade de produção planetária de petróleo de 8,3 milhões de barris diários (mbd) entre 2012 e 2018, para chegar a 103 mbd. Paralelamente, a demanda aumentará 6,9 mbd, a 96,67 mbd.

Segundo a agência, dos 8,3 mbd que se somarão ao mercado, 6 milhões procederão de países de fora da Opep (Organização de Países Exportadores de Petróleo) e 3,9 milhões da América do Norte, epicentro da exploração deste petróleo não convencional.

Os projetos de exploração de petróleo e gás xisto absorveram bilhões de dólares e criaram milhares de empregos em áreas até agora secundárias dos Estados Unidos, como Dakota do Norte, e no oeste do Canadá.

Esta irrupção do petróleo americano transformará o mercado nos próximos cinco anos de forma tão significativa quanto foi o crescimento da demanda chinesa de petróleo nos últimos quinze anos, estima a AIE.

Este dinamismo contrasta com as previsões relativas à Opep, que agrupa grandes países exportadores, essencialmente do Oriente Médio, África e dois da América Latina, Venezuela e Equador.

Efetivamente, as capacidades de produção deste cartel, que produz atualmente cerca de 35% do petróleo mundial, aumentarão menos que o previsto pela agência, e estancarão, passando de 35,35 mbd em 2013 a 36,75 mbd em 2018.

Isso é consequência, segundo a AIE, dos "novos obstáculos" que surgiram na África do Norte e no Oriente Médio após a Primavera Árabe, que correm o risco de frear os investimentos no setor petroleiro.

Paralelamente, a AIE reduziu levemente suas estimativas de crescimento de consumo de petróleo para os próximos anos (90,58 mbd em 2013, aumentando 1,1 mbd a cada ano para chegar a 96,68 mbd em 2018).

Este crescimento estará, sobretudo, sustentado pelas necessidades cada vez maiores dos países emergentes e em desenvolvimento. O consumo dos países de fora da OCDE superará pela primeira vez no trimestre em curso o dos membros desta entidade, formada principalmente pelos países mais industrializados.

Fonte: AFP

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir