ANP INTERDITA P-33

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) interditou a plataforma P-33 da Petrobras, após fiscalização realizada na última quarta-feira e quinta-feira, dias 11 e 12, em conjunto com a Marinha. Motivada por denúncias de petroleiros e fotos divulgadas no jornal O Globo, que mostravam as más condições de conservação das instalações, o órgão enviou ofício à Petrobras e foi apenas recebido na noite do dia 12.

A plataforma, que atualmente produz cerca de 20 mil barris de petróleo por dia - abaixo de sua capacidade, de 63 mil de barris por dia – foi interditada sob a alegação de irregularidades envolvendo condições de segurança. “A ANP decidiu suspender cautelarmente as operações na Plataforma P-33, até que os níveis de segurança requeridos pela agência sejam restabelecidos, autuando a Petrobras e garantindo-lhe o direito ao contraditório e à ampla defesa”, diz o comunicado da ANP, direcionado à imprensa.

Ao receber o ofício comunicando a interdição da P-33, a Petrobras retrucou ao mercado, por meio de nota, comentando e justificando as irregularidades apontadas pela Agência. Contra o argumento de que foram encontrados significativos desvios de segurança, como por exemplo, a modificação de sistemas críticos em relação à Documentação de Segurança Operacional (DSO) aprovada pela ANP, a companhia presume que “esse item refere-se a geradores provisórios, instalados para substituir temporariamente o sistema de geração a vapor da plataforma, durante a manutenção da caldeira. Eles não foram inseridos no DSO porque tratavam-se de modificações transitórias”

A ANP relata ainda problemas como a “existência de análises de risco obsoletas em relação à realidade operacional da unidade, equipamentos críticos com planos de manutenção expirados, acidentes não comunicados, dentre outros problemas de integridade mecânica e elétrica.” De acordo com o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sinipetro-LF), esta é a primeira vez que uma plataforma da Petrobras é interditada.

Parada programada

Antes da finalização da inspeção da ANP e da Marinha na P-33, a Petrobras notificou o setor para o fato de que iria paralisar as operações da plataforma em outubro deste ano. Essa informação veio ao mercado atrelada à esclarecimentos sobre as denúncias que a estatal sofreu durante a última semana. Essa parada para revisão deveria ter ocorrido em julho, mas não aconteceu. “As plataformas em alto mar estão submetidas a uma atmosfera extremamente corrosiva, típica de ambientes marinhos”, justificou a companhia, em comunicado.

Nicomex Notícias – Redação
nicomex@nicomex.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir