Parnaíba produzindo em 2012

A OGX pretende iniciar em 2012 a produção do bloco exploratório PN-T-68, na Bacia do Parnaíba, onde anunciou nesta quinta-feira (12/8) uma descoberta de gás natural na seção devoniana com a perfuração do poço 1-OGX-16-MA. A petroleira deve investir no projeto entre R$ 600 milhões e R$ 700 milhões, sendo R$ 50 milhões para novas aquisições sísmicas e o afretamento de novas sondas.

A área técnica da empresa ainda aguarda avanços na campanha exploratória para divulgar os volumes precisos. “Provavelmente vamos ter dois a três sondas simultâneas atuando na região”, conta o diretor-presidente da OGX, Paulo Mendonça. A empresa planeja pelo menos 15 novos poços para completar a campanha. Inicialmente, era projetada a perfuração de cinco poços na região.

Dados sísmicos da região já identificaram a presença de até 20 novos prospectos, onde a OGX Maranhão detém sete blocos. Até agora a companhia investiu R$ 59 milhões em sísmicas 2D e 3D na bacia.

O prospecto, batizado como Califórnia, foi perfurado até a profundidade de 1.654 m, onde foi detectada a presença de gás. Testes de formação foram realizados e identificaram a pressão de até 1.900 psi de pressão na superfície. A área está a 260 km da capital São Luiz (MA).

A sonda QG-1, da Queiroz Galvão, é a responsável pela perfuração que se iniciou no dia 5 de julho. Segundo o presidente do Conselho de Administração da OGX, Eike Batista, as atividades de exploração no poço 1-OGX-16-MA apresentaram resultados oito vezes maiores que o esperado. Ao todo, a vazão registrada na campanha foi de 400 mil m³/d, quando o esperado era de 50 mil m³/d. “Para se ter uma ideia da dimensão da descoberta, a queima do gás no poço gerou a uma chama de aproximadamente 15 m. Em Juruá, a chama dera de 3 m”, explica.

A produção deverá ser destinada para as térmicas da MPX e indústrias da região. Por conta da descoberta, a companhia de energia elétrica do grupo EBX vai ampliar seus projetos previstos no Maranhão dos atuais 1.863 MW para 3.963 MW, em investimentos da ordem de R$ 1 bilhão. As usinas serão construídas em cima dos reservatórios para facilitar a logística de transporte do gás.

O bloco PN-T-68 é operado pela OGX Maranhão, sociedade formada por pela OGX (66,66%) e MPX (33,33%), que possui 70% de participação no bloco. A Petra Energia detém os 30% restantes.

Otimismo com toda a Bacia

O otimismo da empresa com a Bacia do Parnaíba é grande. Na avaliação da empresa, a bacia deve apresentar reservas da ordem de 10 trilhões a 15 trilhões de pés cúbicos de gás, que permitiriam sustentar uma produção de 15 milhões de m³/d por 40 anos, projetou Batista. “Esse é o início da abertura de uma nova província não só de gás, como condensados e óleo”, conta Batista.

Fonte: EnergiaHoje

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir