EMPRESAS ESTRANGEIRAS AJUDAM NO DESENVOLVIMENTO DO PRÉ-SAL

Com expectativa de investimentos volumosos, o pré-sal se tornou a maior vitrine do Brasil no exterior. Isso porque tanto a Petrobras como importantes empresas de óleo e gás já anunciam altos investimentos no setor. Para se ter uma ideia, técnicos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estimam que para o banco poder se preparar para atender as necessidades da cadeia produtiva de petróleo e gás para a exploração da área do pré-sal, será necessário créditos que devem somar US$ 200 bilhões até 2012. naturalmente, com a plena expansão do cadeia petrolífera nacional, empresas estrangeiras já miram o Brasil como principal foco em suas ações.

Exemplo dessa ‘invasão’ estrangeira em nosso mercado, é a ABB, multinacional com sede na Suíça que opera nas áreas de geração e automação, e anunciou recentemente planos de montar no Brasil propulsores para plataformas de perfuração de poços de petróleo. O grupo analisa construir uma unidade na costa brasileira - em local ainda não definido - para montar os propulsores com conteúdo nacional de cerca de 60%. O equipamento é conhecido no mercado pela marca Azipod e permite movimentar navios e plataformas. E no caso de sondas de perfuração são importantes para manter o posicionamento dinâmico da unidade, corrigindo variações de marés e de ventos.

Mas não apenas os suíços anunciaram investimentos em nossa cadeia de petróleo. Empresas russas do setor de gás natural e de tecnologia de extração vão abrir escritórios no Rio de Janeiro e propõem investimentos no pré-sal para permitir que se explore não apenas o petróleo, mas também para capturar e comercializar o gás que sairá das reservas. Há uma semana, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) e a Petrobrás mantiveram conversas preliminares em Moscou com algumas das gigantes do setor, entre elas a Gazprom - a maior empresa de gás natural do mundo.

Liderança da Petrobras

Para o consultor da Onip, Arlindo Charbel, considerando que o setor petróleo é internacional e o aprendizado é permanente, a presença de empresas estrangeiras garante que a exploração do pré-sal não ficará limitada à experiência da Petrobras. “Embora seja inegável a liderança da Petrobras, cada empresa de petróleo tem muito o que compartilhar com as outras, até porque o pré-sal não existe só no Brasil. Sem contar o fato que cada uma desenvolveu soluções e fornecedores em alguma parte do mundo e isto, ao ser compartilhado com seus associados no Brasil (Petrobras e outras empresas, operadores ou fornecedores) pode facilitar a exploração no Brasil”, ressaltou o especialista.

Segundo Arlindo Charbel, a entrada cada vez maior de companhias estrangeiras no país não deve impedir do desenvolvimento de empresas nacionais. “A invasão só poderia atrapalhar se a vinda de empresas estrangeiras tiver como objetivo apenas ganhar dinheiro com o pré-sal. Como muitas das empresas estão trazendo inteligência, se dispondo a compartilhar conhecimento a até montando aqui centros de tecnologia”, afirmou Charbel ressaltando ainda que a exigência de conteúdo local da Petrobras servirá não como impedimento ou desestímulo mas como uma forma de trazer foco nos estudos e/ou economia de escala para os subfornecedores brasileiros”, finalizou.

Por Bruno Hennington
bruno.h@nicomexnoticias.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir