O&G demandará R$ 378 bi

O BNDES estima que o setor petróleo demandará investimentos da ordem de R$ 378 bilhões entre 2011 e 2014. Do total de recursos, 80% será aportado pela Petrobras – algo em torno de R$ 300 bilhões – e o restante (R$ 75 bilhões) por empresas privadas.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (18/10) no Boletim Visão do Desenvolvimento, assinado pelo economista André Sant’Anna. A previsão de investimentos feita pelo analista leva em consideração o Plano de Negócios da Petrobras e dados obtidos com o IBP. O cenário traçado mostra como positiva a abertura do setor petróleo e o fim do monopólio da Petrobras, em 1997, o que atraiu mais empresas, recursos e tecnologia para o setor.

A estimativa do banco aponta para investimentos de R$ 45 bilhões na nova fronteira do pré-sal no período. Os números representam 15% do total de recursos estimados para o setor entre 2011 e 2014. “A expectativa, porém, é que, em meados da década, os investimentos naquela região ganhem maior participação”, afirma o relatório.

Os cálculos mostram ainda que os investimentos no setor têm o potencial de gerar uma demanda doméstica de R$ 407 bilhões entre 2011 e 2014, o equivalente a R$ 100 bilhões por ano. O setor de máquinas e equipamentos terá uma demanda adicional de R$ 234 bilhões, um acréscimo de 28% considerando o valor bruto da produção de 2007 com valores corrigidos para 2010.

O segmento de metalurgia terá, ainda de acordo com estimativas do banco, sua demanda incrementada em R$ 31 bilhões, 8% a mais do que o valor bruto adquirido em 2007. “Será preciso que fornecedores de materiais e bens de capital – em especial nos setores de construção naval, metalurgia, máquinas e equipamentos – tenham capacidade de atender essa demanda a custos competitivos e com padrão tecnológico adequado”, afirma o relatório.

O economista do BNDES alerta para a importância de políticas para identificar gargalos produtivos nos próximos anos. “Esse processo não se esgotará em 2014, uma vez que os investimentos associados ao pré-sal devem se intensificar a partir de meados da próxima década e, ademais, ainda não se conhece todo o potencial de recursos daquela região. Assim, os esforços exploratórios e de produção devem seguir crescendo ao longo década”, conclui.

Fonte: Energia Hoje

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Free Website templatesFree Flash TemplatesRiad In FezFree joomla templatesSEO Web Design AgencyMusic Videos OnlineFree Wordpress Themes Templatesfreethemes4all.comFree Blog TemplatesLast NewsFree CMS TemplatesFree CSS TemplatesSoccer Videos OnlineFree Wordpress ThemesFree Web Templates
Subir